segunda-feira, 4 de agosto de 2008

E agora?? Como viveremos??

Youth of the Nation - P.O.D.

"É o último dia do resto da minha vida
eu queria não saber disso
porque eu não dei um beijo de despedida na minha mãe
não disse pra ela o quanto eu a amo e a estimo
e nem agradeci meu pai pelas conversas e toda a sabedoria que nós trocamos

sem saber eu fiz o que sempre faço
todo dia a mesma rotina
antes de pegar o skate e ir para a escola
mas quem saberia que esse dia não seria como os outros?
em vez de uma prova
eu tomei 2 tiros no peito

pode me chamar de cego mas eu não vi
vi todos correndo
mas não ouvi nada
apenas tiros, foi tudo muito rápido
eu realmente não conhecia esse menino
apesar de sentar do lado dele na aula

Talvez ele precisasse de amor
ou talvez por um momento tenha
esquecido quem ele era
ou talvez ele só quisesse um abraço
por que quer que tenha sido
sei que foi porque

Nós somos, nós somos a juventude da nação

Suzy tinha só doze anos
tem a vida pela frente,
podia se tornar alguém
mas fica com os garotos ouvindo suas histórias
parece orgulhosa
mas não se respeita

Busca o amor nos lugares errados
as mesmas situações
só nos rostos diferentes
a vida dela mudou quando o pai foi embora
que pena que ele não disse
que ela merecia algo melhor

Johnny sempre era o idiota
quebrava todas as regras
só para parecer legal

Nunca pertenceu ao grupo
por mais que ele tentasse
sempre pensava em suicídio
é difícil viver quando não se tem amigos
se ele se matasse
talvez lembrassem dele

Depois de um certo ponto não há volta
expressou seus sentimentos
ao som de uma pistola

quem é o culpado pelas mortes?
pode dizer o que quiser
Isso não tira a dor

eu sinto, estou cansado de mentiras
ninguém sabe o porquê
os cegos guiam os cegos

penso que é assim mesmo
um dia irá fazer sentido?
alguém tem que saber

A vida tem que ser mais do que isto
não pode ser só o que eu achava que existia"

P.O.D

Como todos sabem gosto mto do som desses caras... realmente são cristãos q falam a verdade numa análise atual.
Tenho conhecido mtas pessoas, observado mtas vidas e aprendido mto sobre o q é viver em comunidade. Aprender a ouvir, sem querer impor algo só pra mostrar-se superior; aprender a falar usando de uma autoridade q vem do Alto e não somente daquilo q vc gostaria q fosse. Aprender a assumir os erros e os acertos. Aprender a amar.

Tenho observado a moçada ao meu redor e entendido mta coisa sobre o momento atual q o mundo vive. Pessoas sem compreensão uma das outras, impessoalidade e frieza nos relacionamentos, pluralismos de todas as formas, sincretismo religioso, convicções q num fazem a menor mudança na vida das pessoas ao redor, etc...

O q podemos esperar do cristianismo? da igreja? de nós mesmos??

Penso nisso cada vez q encontro com um "cristão desviado" q reclama da falta de amor da igreja, dos pastores, dos problemas familiares, da fé.

Apesar de crer numa eleição e em um chamado iresistível por parte de Deus para seus eleitos, sempre oro a meu Deus para que ilumine os pensamentos e os passos de toda uma galera q caminha caminhos de morte e de sombras... Peço a Ele forças e estratégias, mesmo na minha insignificância para poder ajudar, contribuir, ser aquela cidadela em cima do monte para esses q andam na noite..

É assim q imagino o Cristo, alguém disposto a ajudar, sem precisar ou pedir nada em troca, nem mesmo reconhecimento... é isso q eu imagino q as pessoas esperam dos cristãos...

pessoas como essas ilustradas na música..

pessoas normais...

pessoas.

segunda-feira, 28 de abril de 2008

:: Serenity ::


"... E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes sofrido um pouco, Ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá." 1Pe. 5:10

Ontem fui impactado mais uma vez por perceber a clareza e a simplicidade com que o Bíblia fala com o coração do homem.
Atualmente, percebemos que não poucos cidadãos, crentes ou não, estão "inertes" no que diz respeito a caminhada de suas vidas. Quer seja no âmbito religiosos, social ou qualquer outro, há uma comodidade preguiçosa geral que proporciona a muito a sensação de que tudo está bem e que num precisa mudar.
Lendo esse texto percebo algumas verdades. Verdades essas que foram despertadas pela homilia de um pregador com um sotaque meio "portunhol" e com um sorriso engraçado.
Deus não tem em sua essência o atributo da mentira ou mesmo do esqueciemento. Uma vez falado, profetizado, dito, acontece. Sua palavra é única e não volta atrás. Temos que crer em suas palavras pelo que Ele é. Tiago já afirmara isso quando diz "..que Nele não há mudança e nem sombra de variação." (Tg.1:17)
O início desse texto é marcado por uma afirmação sob a qual Ele nos chamou para sua eterna glória, e isso em Cristo Jesus, e uma vez chamados, nada pode revogar tal chamado, uma vez salvo, salvo para sempre. Mas pelo fato de nossa natureza terrena, pecaminosa e decaída (descedente de Adão), estar presente em nossa essência, passamos por um processo de sofrimento. Sofrimento este que é o de estar distante da comunhão inicial com o Criador, mas ainda bem que é o próprio Deus quem fala que esse sofrimento é passageiro, dura pouco, como pouca é a nossa vida terrena.
Para os eleitos esse parco tempo aqui de sofrimento, mesmo indiferente a todos fatores externos que possam querer expressar o contrário, antecede o cumprimento de uma promessa marcante, que diz que o dia chegará onde estaremos juntos dEle, desfrutando de todas as promessas a nós proferidas.
O proprio Pai da Luzes (Tg. 1:17) é quem trata de nos fortalecer, confirmar e aperfeiçoar neste mundo para poder afirmar em nossos corações o seu irresistível chamado. O aperfeiçoamento, que aqui se refere a um ajuste ao que outrora estava certo, gera uma confirmação de que somos filhos e a fortificação da nossa fé nos fará fortes para enfrentarmos as lutas do tempo presente. Para assim, enfim, recebermos de sua preciosa mão a certeza da vida eterna e o triunfo por uma vida perseverante.
"... a Ele seja a glória e o poder, para todo o sempre. Amém!"

terça-feira, 1 de abril de 2008

- God is the Gospel -


Tenho refletido... e na realidade gasto um considerável tempo sendo "perturbado" pela inquietação do Espírito de Jah sobre a realidade que temos vivido e que tenho visto ao meu redor.
O fator positivo que essa inquietação me permite ver é que minhas convicções são extremamente fortificadas a cada novo momento... e uma nova inquietude surge ao pensar no que posso oferecer para a mudança do quadro q vejo ao meu redor.
Lendo um livro, percebi o quanto a humanidade está cada vez mais distante do Evangelho, e consequentemente do Deus do Evangelho e do Deus que é o Evangelho. Valores invertidos, princípios abalados, fé sem fundamentação bíblica e sem conhecimento do Deus da história... a crise atingiu a espiritualidade...
Como diria o velho sábio: - Tudo é vaidade!
-E isso q tenho visto e percebido na vida pós-moderna.
Falta de propósitos, convicções e amor ao Evangelho.
Não esse evangelho triunfalista e capitalista que vem sendo pregado nos templos babilônicos por aí, mas sim o Evangelho, aquele que reflete o próprio caráter de Deus, o Evangelho que coloca o pecador em confronto com seu pecado e o faz depender de Cristo a cada dia mais.
A superficialidade da fé e da experiência de vida cristã estão tomando conta de muitos, a frieza abala até mesmo aqueles corações outrora fervorosos, os cegos estão cada vez mais guiando cegos...
Tenho pensado sobre o Evangelho, o Deus do Evangelho e sobre o Evangelho do Senhor, aquele que salva, que traz paz, que ajuda a caminhar, que mostra Cristo como Messias, Senhor, Salvador e apresenta o Espírito como algo além de uma simples experiência fervorosa...
Tenho pensado sobre Deus... sobre Deus!!!

quarta-feira, 19 de março de 2008

:: Defense ::




No passado, estrangeiros foram feitos escravos.
Depois, negros foram capturados e também escravizados.
Até pouco tempo atrás, mulheres não tinham plenos direitos e eram discriminadas.
Será que nossa sociedade não se sustenta sem explorar?
Hoje nossa maior e mais cruel exploração ocorre sobre os animais.
Os animais nos dão a carne?
Não! Nós tomamos a força sua carne.
Nós tomamos a força seu leite.
Tiramos a força sua pele para fazer roupas e calçados.
Capturamos a força e fazemos experimentos forçados.
Exploramos os animais como se fossem nossas propriedades.
Comercializamos animais como se fossem mercadorias.
Muitos acreditam que temos direitos sobre eles...
Eu pergunto: Qual a origem deste direito? Ainda não ouvi resposta convincente.
Será que nossa sociedade não se sustenta sem explorar?
Será que não existem vegetais suficientes para nos alimentar?
Será que pereceríamos sem o consumo de carne?
A humanidade acabaria se não existissem mais vacas e galinhas?
Será que nossos carros não andariam sem bancos de couro?
Em pleno século 21, tecidos sintéticos não poderiam nos vestir e calçar?
Não haveria diversão sem circo, rodeios e caçadas?
Não haveria cura para doenças, sem experiências com animais?
Será até que existiriam doenças se soubéssemos respeitar e viver?
Pois bem, é isso que prega a Libertação Animal.
Um mundo sem exploração!
Vivamos a nossa vida e deixemos aos animais viverem a vida deles.
Como exigir um mundo sem violência, se não fizermos nossa parte?
Como opressores podem ser felizes de verdade?
...

terça-feira, 11 de março de 2008

- P.O.D. -




Taí uns caras q admiro...

Goodbye for now

Eu ainda posso ver a luz no fim do túnel brilhar,
Através dos tempos sombrios mesmo quando eu perco minha cabeça.
Mas parece que ninguém no mundo está escutando,
E eu pareço nunca tomar as decisões corretas
Eu ando ao redor da mesma névoa, eu ainda estou preso nos mesmos caminhos
Eu estou perdendo tempo nestes dias estranhos,
Mas de alguma forma eu sempre sei as coisas corretas a dizer.

Eu não sei que horas são, ou quem eu deva culpar
Eu acredito no que eu não posso ver?
E como você sabe que direção o vento sopra?
Porque eu posso senti-lo ao meu redor,
Eu estou perdido entre o som.
E apenas quando eu penso que sei, lá vai ela.

Adeus por enquanto, adeus por enquanto (por muito tempo)
Adeus por enquanto,
Eu não sou do tipo de dizer, eu disse a você
Adeus por enquanto (por muito tempo)
Eu acho que a parte mais difícil de segurar algo é deixando isto ir embroa
Quando nós cantaremos uma nova canção? Uma nova canção

Eu ainda estou sorrindo enquanto o dia se vai,
E como ninguém nunca sabe as razões do porquê?
Enterro-o profundamente, tão distante onde você não possa vê-lo
Se você gosta de mim, quem vestirá um coração quebrado em suas luvas,
Dores e esforços que você sabe tão bem,
Ou às vezes não, não pode, ou apenas não dirá.
Eu não sou do tipo de dizer, eu disse a você
Eu acho que a parte mais difícil de segurar algo é deixando isto ir embroa

Eu não sei que horas são, ou quem tem esta responsabilidade
Eu acredito no que eu não posso ver?
E como você sabe de que maneira o vento assopra?
Porque eu posso senti-lo ao meu redor,
Eu estou perdendo entre os sons.
E apenas quando eu penso eu sei, lá vai ela.

Adeus por enquanto, adeus por enquanto (por muito tempo)
Adeus por enquanto,
Eu não sou do tipo de dizer eu disse a você então
Adeus por enquanto (por muito tempo)
Eu penso que a parte mais dura de conter algo é deixaindo ir
Quando nós cantaremos uma nova canção? Uma nova canção

E você pode cantar até que não haja nenhuma canção sobrando (canção sobrando)
E eu posso gritar até o mundo ficar surdo (ficar surdo)
Para cada outra palavra não dita
Você devia ter tido um tempo para ler os sinais
E ver qual é o significado (qual é o significado)
De alguma forma, todos se sentem só,
Assim se a responsabilidade é minha então eu posso carregá-la (carregá-la)
Se a alegria vier realmente ao amanhecer,
Então eu sentarei e esperarei até o próximo nascer do sol

Adeus por enquanto, adeus por enquanto (por muito tempo)
Adeus por enquanto,
Eu não sou do tipo de dizer eu disse a você então
Adeus por enquanto (assim por muito tempo)
Eu penso que a parte mais dura de conter algo é deixaindo ir
Quando nós cantaremos uma nova canção? Uma nova canção

sexta-feira, 7 de março de 2008

:: Blessed ::


Bênção Franciscana

"...Que Deus te abençoe com
um desconforto inquietante sobre as respostas fáceis,
as meias verdades e as relações superficiais,
para que possas buscar a verdade corajosa
e viver profundamente em teu coração.

Que Deus te abençoe com sagrada raiva à injustiça,
à opressão e à exploração de pessoas
para que possas trabalhar incansavelmente pela justiça,
liberdade e paz entre todas as pessoas.

Que Deus te abençoe com o dom de lágrimas
para derramá-las com aqueles que sofrem de dor,
rejeição, fome ou a perda de tudo aquilo que eles amam,
para que possas estender a mão para lhes dar conforto
e transformar a sua dor em alegria.

Que Deus te abençoe com a tolice suficiente
para que creias que realmente podes fazer diferença neste mundo,
para que possas com a graça de Deus,
fazer aquilo que os demais insistem ser impossível.
E que a benção de Deus, Suprema Majestade e nosso Criador,
Jesus Cristo a Palavra encarnada que é o nosso irmão e Redentor,
e o Espírito Santo, o nosso Advogado e Guia,
seja contigo e permaneça contigo e com todos,
hoje e para sempre."

Amém.

terça-feira, 4 de março de 2008

- Right Way -


Durante os últimos dias tenho observado algumas coisas com as quais nunca antes havia gasto tempo observando...

O tempo passa. Em nossas vidas pessoas entram e saem com uma facilidade e com uma rotatividade exorbitante. Passamos nossa vida acreditando no amanhã melhor e buscando fazer com que esse amanhã realmente seja melhor.

Com essas decisões vêem as conquistas, as lutas, as perdas e tantas outras coisas...

Motivação para caminhar. Esse é um conceito com o qual tenho gasto bastante tempo refletindo.

Percebendo os primeiros passos de uma criança, motivada pelo no aprendizado e pelas possibilidades q aquele momento a está oferecendo, ou mesmo percebendo o esforço de um idoso para se manter de pé, lutando contra as marcas do tempo e da idade, concluo q toda a força de motivação vem de dentro, de nosso interior e de nossa vontade de vencer e lutar.

Há um texto na Biblia q me intriga e me impulsiona. Quando Paulo declara:

"Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." Fp. 3:14

Existem pessoas q correm para alvos vãos, pessoas q correm sem alvos e pessoas q correm para alvos de morte, umas até para a própria morte...

O q percebo Paulo ensinando para pessoas como eu é q há algo bem maior do q a futilidade da moda e do q nos faz mais "cools". Vejo Paulo ensinando que pessoas que correm a corrida certa. alcançam o alvo certo e consequentemente recebem o prêmio certo e valioso...

A liberdade para correr nos foi dada... as vias de trânsito são muitas e os caminhos diversos. A única coisa q me faz pensar é qual a motivação da corrida e pelo q estou correndo...

Algumas vezes o caminho parece escuro e solitário, outras vezes nos vemos rodeados de companheiros, adversários e expectadores... mas sempre devemos acreditar pelo q estamos correndo e onde queremos chegar...

Eu já fiz a minha escolha.

sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

:: Time ::









Sempre ouvimos dizer q a vida tem um curso natural... nascemos, crescemos, amadurecemos e ... morremos!!

Uma pergunta pode surgir quando pensamos sobre esse conceito q tem assombrado meus pensamentos nos últimos dias: - O q é a vida??? Quando saberemos viver?? ou melhor, como viver??

Charles Colson, autor renomado na área cristã, publicou em um de seus livros (E agora, como viveremos?), alguns textos q me levam a refletir sobre a vida e mais profundamente sobre a maneira correta, sensata, equilibrada e "normal" de viver.

A Bíblia relata q temos o "direito" de viver somente uma vez e em outro texto, que a nossa vida é como nuvem q logo se dissipa... pensando bem e de uma forma bem racional, nossa vida é um reles momento de algo q significa mto na história do homem; o tempo.

Sessenta segundos, sessenta minutos, vinte e quatro horas... tudo isso mostra o quanto não temos o menor controle de nada na nossa vida, e àz vezes acredito q nem mesmo na nossa vida temos o controle...

"Há tempo pra todas as coisas abaixo do céu"... já dizia o sábio!

Quero deixar claro q o tempo passa... a nossa vida está a mercê do tempo.... e o que fazemos da nossa vida no tempo em que vivemos contará mto sobre nós...

Esse é o tempo de refletir, ver o q ficou pra trás... encarar o presente e pensar no futuro...

... tempo de viver...

domingo, 24 de fevereiro de 2008

- Attitudes -


- Há uma força operante... uma força q impulsiona e nos leva adiante...



Somos aquilo q acreditamos ser...



O tempo está chegando quando o homem não mais lançará a flecha do seu desejo para além de si mesmo e a corda do seu arco se esquecerá de como vibrar... O tempo está chegando quando o homem não mais dará à luz uma estrela. O tempo do mais desprezível dos homens.


“O tempo está chegando quando todas as águias se transformarão em galinhas”

A idéia desta estória não é minha. Meu é só o jeito de contar... Sobre uma águia que foi criada num galinheiro. E foi aprendendo sobre o jeito galináceo de ser, de pensar, de ciscar a terra, de comer milho, de dormir em poleiros...
E na medida que aprendia ia esquecendo as poucas lembranças que lhe restavam do passado. É sempre assim: todo aprendizado exige um esquecimento... e ela desaprendeu
Os cumes das montanhas
Os vôos nas nuvens
O frio das alturas
A vista se perdendo no horizonte
O delicioso sentimento de liberdade e dignidade...
Como não havia ninguém que lhes falasse destas coisas, e todas as galinhas cacarejassem os mesmos catecismos, ela acabou por acreditar que não passava de uma galinha com perturbação hormonal, tudo grande demais, aquele bico curvo, sinal certo de acromegalia, e desejava muito que seu cocô tivesse o mesmo cheiro certo do cocô das galinhas...
Um dia apareceu por lá, um homem que vivera nas montanhas e vira o vôo orgulhoso das águias.
“Que é que você está fazendo aqui?” perguntou.
“Este é meu lugar!”, respondeu. “Todo mundo sabe que galinhas vivem em galinheiros, comem milho, ciscam o chão, botam ovos e, finalmente, viram canja; nada se perde, utilidade total.”
“Mas você não é uma galinha, é uma águia”, disse o homem.
“De jeito nenhum. Águia voa alto. Eu nem se quer voar sei. Pra dizer a verdade, nem quero. A altura me dá vertigens. É mais seguro ir andando passo a passo...”
E não houve argumentos que mudasse a cabeça da águia esquecida. Até que o homem, não agüentando mais ver aquela coisa triste, uma águia transformada em galinha, agarrou a águia a força e a levou até o alto de uma montanha. A pobre águia começou a cacarejar de terror, mas o homem não teve compaixão: jogou-a no vazio do abismo. Foi então que o pavor, misturado a memórias que ainda moravam em seu corpo, fez as asas baterem, a princípio em pânico, mas pouco a pouco com tranqüila dignidade, até se abrirem confiantes, reconhecendo aquele espaço imenso que lhe fora roubado.
E ela, finalmente compreendeu que seu nome não era galinha, mas águia...
Esta estória foi escrita na África, um profeta dizendo aos seus companheiros:
“Vejam a que estado os brancos nos reduziram: águias que andam como galinhas... É preciso voar de novo...”
Mas eu senti que e ra muito mais que isto, porque comecei a ver galinhas espalhadas por todas as partes, e águias domesticadas e humilhadas, felizes por ciscar a terra e comer milho...
E me perguntei se não é isto que acontece nesta coisa que se chama lar, de chinelo, pijama ou bob na cabeça e os mesmos cacarejos milharescos, longe, muito longe do ar frio das alturas. E Igreja, galinheiro sagrado, em que os cacarejos se transformam em catecismos, as águias são condenadas ao silêncio e quem anda diferente é mandado para o inferno...
Também as escolas, que se especializam nesta curiosa metamorfose de transformar águias em galinhas para que não falte canja. E os pais se rejubilam quando a magia chega ao fim, e as águias solitárias (são sempre perigosas e invisíveis) recebem seus diplomas galináceos.
Agora são iguais como todos os demais: podem arranjar seus empregos, botar seus ovos, chocar seus filhos, até o glorioso momento de serem transformadas em canja...
E é esta coisa a que se dá o nome de Massficação, com a diferença que agora a gente vê aqueles rostos terríveis, galináceos, dos quais desapareceu qualquer vestígio de eternidade, e discutem sobre se devem ou não usar gravata em plenário e acham certo que se fabriquem armas (é bom negócio), ou mesmo onde construir o novo shopping center... e não percebem os sinais do furacão que se aproxima...

E as águias acabam por se convencer que o seu tempo já passou.

sábado, 23 de fevereiro de 2008

:: Decisions ::

Uma única chance...

...um único caminho...

...vários atalhos???

Ou na verdade existem vários caminhos e somente escolhemos aquele que mais nos conveêm??
E o que seriam os atalhos??? - Possibilidades reais de tomar o controle das escolhas?? Ou a simples ilusão de trilhar a estrada de tijolos amarelos???
Da frieza dos cálculos e da razão temos a certeza de que para toda ação há sempre uma reação de igual valor... mas, e quando nem sabemos qual é a ação??? Poderemos um dia prever a reação antes mesmo de agir???
Talvez seja isso que chamem de maturidade, experiência, vivência... entender o reverso, o momento seguinte, aquele logo após o piscar de olhos....
Às vezes é necessário embaralhar as cartas que nos foram dadas...
Mas, se até mesmo isso for apenas uma falsa miragem pela qual achamos que somos donos de nosso Eu???
Da serenidade dos versos do Grande Eu Sou temos uma certeza: - Tudo coopera para o bem daqueles que o amam...
Deus é um jardineiro... um pintor...uma criança consciente de seu papel, mas que num perde a essência de ser criança....colorir, se alegrar, criar...
Se sou obra, como posso escolher?? Como posso decidir???
Se meus olhos não enxergam além do horizonte, como saberei o que há por trás das montanhas????
Nossas decisões são reflexos de quem nós somos...
Nossas escolhas são reflexos de quem queremos ser...
Nossa responsabilidade é a soma daquilo plantamos...
...No teu Livro, Jah, estão escritos todos os meus dias...
Já dizia o velho sábio: - Até mesmo um caminho com muitas pedras quando enfrentado, torna-se um caminho caminhado...

Decidir...

Escolher...

Perseverar...

Viver...