quinta-feira, 24 de outubro de 2013

:: Os dons do Espírito na Igreja ::

O grande desafio é buscarmos viver essa diversidade de dons mediante a realidade corporativa da igreja


"Mas receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra" Atos 1:8 

O Novo Testamento nos apresenta a realidade de que a Igreja de Cristo tem a seu favor a atuação do Espírito Santo de Deus para nos consolar, orientar, ensinar e nos capacitar para exercermos neste mundo a missão para a qual Cristo nos vocacionou. Como bem disse o teólogo Karl Barth "a igreja tem como centralidade da sua fé a pessoa de Jesus, mas como fator impulsionador a presença e atuação do Espírito Santo."
Nesse aspecto, o qual percebemos que somos uma igreja do Espírito e no Espírito nos dedicamos a conhecer e viver os diferentes carismas, ou dons, que o Espírito Santo derrama sobre sua igreja. Há uma diversidade de dons, tais como os dons naturais e sobrenaturais, dons temporários e dons permanentes, dons de palavra e dons de ação (Rm. 12; 1Co. 12; Ef 4. 11-12) entretanto, além dessa compreensão, o importante é reconhecer que não há ministério nem missão sem um reconhecimento explícito e uma aplicação integral da maior variedade desses dons no meio da igreja. Os carismas constituem a vida e a missão da Igreja.

Paulo na sua carta a Corinto deseja que aquela igreja tenha essa variedade para uma finalidade específica: "de maneira que não vos falte nenhum dom, aguardando vós a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual também vos confirmará até o fim, para serdes irrepreensíveis no dia do nosso Senhor." 1Co 1.7-8.

Esses dons são a capacidade dada por Deus mediante seu Espírito aos seus santos para realizar o ministério e edificar o corpo de Cristo em seu serviço ao mundo. Já que somos "uma igreja para o outro", nada mais significativo do que buscarmos exercer no palco da Graça divina, o mundo, o maior número possível de dons que possibilitem a oferta do perdão de Deus ao pecador.

"A igreja viverá a realidade escatológica de sua essência como corpo de Cristo na medida em que todos os dons sejam reconhecidos e exercido na comunidade de forma plural e universal". Afirmou Moltmann.

O grande desafio é buscarmos viver essa diversidade de dons mediante a realidade corporativa da igreja. Quanto mais pessoas tiverem a maior variedade de dons mais conseguiremos exercer nossa missão com eficiência e reproduziremos ao mundo a ideia de um corpo saudável de Cristo que cresce por igual, uniforme e em todas as vertentes.  O Filho de Deus continua atuante no mundo pela ação do Espírito, precisamente por intermédio de sua igreja realizando sua missão dependente da capacitação de Deus e da vida comunitária.

Que Deus nos abençoe!