quinta-feira, 19 de maio de 2011

E se vc tiver q casar um homossexual

Bem.. essa é uma pergunta difícil com a qual tenho sido questionado ultimamente... Por ser um pastor evangélico, acredito e prego aquilo que a Bíblia, que é o nosso livro de fé e prática orienta, e além disso há um estatuto interno da igreja que nos habilita a termos o poder de escolha sobre quais casais quero ou não celebrar o casamento. Esse poder de escolha ninguém pode tirar, pois seria inconstitucional. Acredito que essa lei não chegará ao ponto de "obrigar" um pastor a casar um casal homossexual se tal casal não estiver em concordância tanto com a prática biblíca-teológica quanto à conduta exigida pelo regimento interno da igreja a qual o pastor preside. Mas ainda assim essa não deixa de ser uma pergunta intrigante que ainda me força a formular uma resposta mais precisa e concreta.
Obrigado por perguntar!

Pergunte o que quiser

sexta-feira, 13 de maio de 2011

:: Vai virar moda??? ::

Abri o site da globo hj pela manhã e vi isso...Nem sei o que dizer... pois atualmente a tal da liberdade de expressão acabou!!

Casal de pastores gays é o primeiro do Rio a registrar a união estável em cartório após decisão do STF

Fonte: Globo.com

Os pastores evangélicos Marcos Gladstone e Fábio Inácio, fundadores da Igreja Cristã Contemporânea, foram o primeiro casal gay no Rio a registrar a união estável em cartório, após a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Os dois oficializaram a união, nesta quinta-feira, no cartório do 7º Ofício de Notas, no Centro. A assinatura do documento foi acompanhada por alguns fiéis da igreja.



- Hoje eu me sinto orgulhoso de ser brasileiro e de saber que o meu afeto e o meu amor são reconhecidos pelas nossas leis - afirmou Marcos.

Os pastores estão juntos há cinco anos. Em 2009, eles realizaram uma cerimônia religiosa de casamento. Há dois meses, o casal iniciou o processo de adoção de duas crianças. Apesar da conquista com a decisão do STF, Fábio garante que a luta pelos direitos dos gays vai continuar.

- Depois de hoje, teremos um vínculo muito maior. O próximo passo será conseguir o registro civil.

A tabeliã Edyanne Frota, do 7º Ofício de Notas, explica que a união estável faz com que o casal gay adquira um novo status.

- Agora eles serão vistos como uma entidade familiar. Mas é importante frisar que a lei ainda não regulamente a união civil. No registro, eles continuam solteiros.

terça-feira, 10 de maio de 2011

... Reimaginando a Igreja ...


Durante os últimos dias tenho me dedicado a uma leitura que tem ampliado meus horizontes ministeriais e a forma como enxergo a igreja.
Percebi durante esse tempo o quanto nós cristãos evangélicos somos enraizados numa cultura católica-romana que nos faz ter um apego "medieval" ao templo.
Imersos em nossas atividades eclesiásticas e cumprindo programas e calendários não temos tempo de analizar qual era a proposta neo-testamentária de ser igreja e como viver em igreja.
Esquecemos os propósitos da Ecclesia e nos tornamos um grupo qualquer tecnicista e ritualista da fé. Somos bons em planejamentos, estratégias de marketing e em cumprir rituais cúlticos msa abandonamos o sentido familiar com a qual a igreja se originou.
"Vamos à igreja" mas ela não está em nós. Não nos reconhecemos como tais e terceirizamos para um especialista da fé (clero) a responsabilidade de cultuar. Não há compartilhar de esperiências, não há edificação mútua, não há refeições comuns. Parece que os escritos paulinos e o livro de Atos de pouco valeram para nós.
Tenho orado e estudado buscando de Deus uma eclesiologia cristocêntrica que mais se assemelhe ao NT. Tenho ensinado meu povo a cultuar com o coração e não somente presos a uma liturgia impecável mas longe da proposta de ser igreja, que na minha opinião é representar a Trindade e sua koinonia em nossas vidas. É a PERICORESE... o relacional... o orgânico... a unidade...
Enfim, estou tentando reimaginar a Igreja.
Espero estar no caminho certo!