sábado, 4 de setembro de 2010

::Salmo 51 e um exemplo de espiritualidade::

- Tenho gasto um tempo estudando sobre uma espiritualidade cristã autêntica e impactante.
Um assunto relevante considerando que a mídia e o senso comum nos apresentam um conceito de espiritualidade que confronta os moldes bíblicos e que distancia o Deus soberano de homens e mulheres piedosos que querem um relacionamento mais próximo e íntimo.
Durante alguns posts farei a minha análise deste salmo, esmiuçando da maneira mais comprometida e bíblica possível para demonstrar em Davi o exemplo de uma espiritualidade que é referência para os cristãos atuais. Mesmo com tanto material bom no mercado, quero deixar as minhas impressões e anotações sobre esta oração.

Salmos 51

Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões.

Lava-me completamente da minha iniqüidade e purifica-me do meu pecado.

Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.

Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar.

Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe.

Eis que te comprazes na verdade no íntimo e no recôndito me fazes conhecer a sabedoria.

Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve.

Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que exultem os ossos que esmagaste.

Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniqüidades.

Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável.

Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito.

Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário.

Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores se converterão a ti.

Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua exaltará a tua justiça.

Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca manifestará os teus louvores.

Pois não te comprazes em sacrifícios; do contrário, eu tos daria; e não te agradas de holocaustos.

Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus.

Faze bem a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém.

Então, te agradarás dos sacrifícios de justiça, dos holocaustos e das ofertas queimadas; e sobre o teu altar se oferecerão novilhos